ATAQUES A PLATAFORMAS DIGITAIS POR FORÇA BRUTA

GEDOC, Outubro 2023

INTRODUÇÃO

A segurança digital tornou-se uma prioridade inegável num mundo cada vez mais interconectado. Com a crescente dependência de plataformas digitais para uma ampla variedade de atividades, a proteção dessas plataformas tornou-se crucial. No entanto, um dos métodos mais persistentes e preocupantes de ataque cibernético é o ataque por força bruta. Neste artigo, iremos explorar o que é um ataque por força bruta, como funciona, os tipos mais comuns e as melhores práticas para proteger plataformas digitais contra essa ameaça.

 

Introdução aos ataques por força bruta

Ataques por força bruta são uma categoria de ataques cibernéticos em que um invasor tenta obter acesso a um sistema ou plataforma digital testando várias combinações de senhas até encontrar a correta. Essa técnica não requer conhecimento prévio da senha e, em vez disso, confia na tentativa e erro repetido.

O termo “força bruta” sugere a ideia de que o ataque é impiedoso e persistente, tentando todas as combinações possíveis até encontrar a senha correta. Embora seja um método relativamente simples, os ataques por força bruta podem ser altamente eficazes se as senhas não forem fortes o suficiente.

 

Como funcionam os ataques por força bruta

Os ataques por força bruta normalmente envolvem as seguintes etapas:

Recolha de informações: o invasor obtém informações sobre o sistema ou plataforma alvo, como nome de usuário ou endereço de e-mail. Isso pode ser feito de várias formas, incluindo engenharia social, acesso a dados roubados em ataques anteriores ou exploração de vulnerabilidades.

Geração de senhas: o atacante utiliza programas de software ou scripts para gerar uma lista de senhas possíveis. Essas senhas podem ser geradas com base em padrões comuns, como datas de nascimento, palavras do dicionário, combinações numéricas e alfabéticas, entre outras.

Ataque ao sistema: o atacante utiliza uma ferramenta ou script para tentar automaticamente cada senha da lista gerada contra o sistema alvo. O processo é repetido até que a senha correta seja encontrada ou até que todas as combinações possíveis tenham sido testadas.

Acesso obtido: se o atacante encontrar a senha correta, ele acede ao sistema ou plataforma e pode realizar  as suas ações maléficas, como roubo de informações, modificação de dados ou podem comprometer o sistema.

 

Tipos comuns de ataques por força bruta

Existem várias variações de ataques por força bruta, cada uma com seu foco e alvo específicos:

Ataques de senha única: neste tipo de ataque, o invasor concentra os seus esforços na tentativa de adivinhar a senha de um único usuário ou conta. Isso é comumente usado em ataques a contas de e-mail, redes sociais e sistemas online.

Ataques a senhas armazenadas: se as senhas estiverem armazenadas em num banco de dados sem proteção adequada, um atacante pode tentar recuperá-las através de ataques por força bruta. Isso é especialmente preocupante quando senhas são armazenadas em texto simples, sem criptografia.

Ataques a sistemas de gestão de senhas: os sistemas de gestão de senhas são alvos atraentes, pois armazenam várias senhas em um único local. Um ataque bem-sucedido a um sistema desse tipo pode conceder acesso a todas as contas armazenadas.

Ataques a redes sem fio: os roteadores sem fio com senhas fracas são alvos populares para ataques por força bruta. Um invasor pode tentar adivinhar a senha da rede Wi-Fi para obter acesso à rede local.

Ataques a sistemas de autenticação: alguns sistemas de autenticação utilizam senhas temporárias ou PINs. Ataques por força bruta podem ser usados para adivinhar esses códigos.

 

Proteção contra ataques por força bruta

A proteção eficaz contra ataques por força bruta é essencial para a segurança digital. Abaixo estão algumas melhores práticas e medidas que podem ser implementadas:

Senhas fortes: incentive o uso de senhas complexas, que combinem letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais. Evite senhas previsíveis, como “123456” ou “senha”.

Políticas de bloqueio de conta: implemente políticas que bloqueiem temporariamente uma conta após um número específico de tentativas de login mal sucedidas.

Monitorização de atividades suspeitas: implemente sistemas de monitorização que alertem quando atividades de login suspeitas são detetadas, como múltiplas tentativas consecutivas.

Autenticação de dois Fatores (2FA): ofereça a opção de 2FA para todas as contas. Isso exige uma segunda forma de autenticação além da senha, tornando mais difícil para os invasores obterem acesso.

Criptografia de senhas armazenadas: armazene as senhas de forma segura usando algoritmos de hash criptográficos. Isso dificulta a recuperação das senhas mesmo que o banco de dados seja comprometido.

Formação e sensibilização: forme e sensibilize os utilizadores para reconhecerem e evitarem ameaças de phishing, pois muitos ataques por força bruta começam com a obtenção de informações de login por meio de técnicas de engenharia social.

Atualizações de software: mantenha todos os sistemas e aplicativos atualizados, pois as atualizações frequentemente corrigem vulnerabilidades que poderiam ser exploradas em ataques por força bruta.

Política de senhas em ciclo: exija que os usuários alterem as suas senhas periodicamente para reduzir o risco associado a senhas comprometidas.

 

CONCLUSÃO

Os ataques por força bruta continuam a ser uma ameaça persistente no mundo digital, e os invasores estão sempre a aprimorar as suas técnicas para superar medidas de segurança. Portanto, é crucial que as empresas, organizações e indivíduos estejam vigilantes na proteção de suas plataformas digitais e informações sensíveis. Implementar práticas de segurança sólidas, como senhas complexas, 2FA e políticas de bloqueio de conta, é essencial para mitigar o risco de ataques por força bruta e manter a integridade de sistemas e dados digitais. A segurança digital é uma responsabilidade compartilhada, e o conhecimento e a conscientização são nossas melhores armas na luta contra essas ameaças persistentes.

 

MISSÃO

Temos como principal objetivo a prestação de um serviço profissional de elevada qualidade. Aliámos elevados padrões de competência técnica e a disponibilização das melhores aplicações a nível internacional de forma a apresentar soluções eficientes e com elevado valor acrescentado.

A nossa metodologia de abordagem foi concebida para oferecer um serviço personalizado em função das necessidades dos nossos clientes. A todos os serviços associamos um coordenador que assume total responsabilidade pelo serviço prestado e pela gestão do relacionamento com o cliente final. Este coordenador tem como principal objetivo assegurar que estamos sempre alinhados com as necessidades dos clientes e que correspondemos às suas expectativas.

Investimos continuamente na formação do grupo de trabalho e modernização das infraestruturas informáticas associadas ao nosso serviço.

A total satisfação do cliente é o nosso desígnio permanente. Desafie-nos!

 

Juntos por um futuro melhor!

Localização

PCI Creative Science Park 
Via do Conhecimento, Sala 2.2.9 no Edifício de Materiais

3830-352 Ílhavo

Horário

das 9h00 às 18h00

segunda a sexta-feira

 

Telefone

+351 234 040 475